Deficiente, sexualidade e solidão: em busca do empoderamento

* Por Jhonatan Zati Nós somos o país que mais mata pessoas LGBT no mundo. Segundo dados levantados de acordo com o GGB, Grupo Gay da Bahia, nossas estatísticas do ano de 2016 superam as do Oriente Médio e da África, em regiões em que a pena de morte por ser parte dessa parcela da população … Continuar lendo Deficiente, sexualidade e solidão: em busca do empoderamento

Nós também sangramos

Muito se fala sobre a sexualidade das pessoas com deficiência, sempre ressaltando as dificuldades em encontrar parceiros ou em alternativas para tornar o ato sexual mais viável e prazeroso. Nesse campo, para as mulheres com deficiência o assunto se restringe aos seus corpos e como lidar com a normatização social sem perder sua autoestima. Entretanto, sexualidade … Continuar lendo Nós também sangramos

Minhas férias em Recife

Finalmente 2017, pessoal! Não sei como foi o ano passado para vocês, mas por aqui a coisa andou bem tensa. Muito trabalho, pouco retorno financeiro, inseguranças pessoais, rupturas de relacionamento... foram tantas mudanças que quase nem reconhecia minha vida. Era como se fosse a história de outra pessoa, rs. Porém o relógio andou e o … Continuar lendo Minhas férias em Recife

A diferença entre ser amado e ser “útil”

O texto abaixo foi escrito pelo Pe. Fábio de Melo sobre envelhecimento, mas pode facilmente ser compreendido e interpretado também para nossa realidade de pessoa com deficiência. Portanto, boa leitura. Por Pe. Fábio de Melo “Você ter utilidade pra alguém é uma coisa muito cansativa. Tá certo, realiza. Humanamente falando é interessante você saber fazer as … Continuar lendo A diferença entre ser amado e ser “útil”

O que a Berenice não disse

Mês passado fui convidada a participar de um bate papo em uma agência de publicidade aqui em Belo Horizonte. A proposta era falar sobre a campanha da Vogue com a Cléo Pires e discutir a importância da representatividade nas propagandas. Expus a complexidade no processo de identidade das mulheres com deficiência em uma sociedade padronizada como a … Continuar lendo O que a Berenice não disse

Queridas Paralimpíadas, obrigada pelo empoderamento

*Por Ieska Tubaldini Labão Eu nunca tinha assistido a mais do que cinco minutos seguidos de qualquer (qualquer) modalidade Paralímpica. Considerando o quanto eu assisto a esportes o tempo inteiro, essa é uma coisa que me causa bastante vergonha, apesar de, hoje, eu ter consciência de que a evolução (da trajetória de vida, da maturidade, da … Continuar lendo Queridas Paralimpíadas, obrigada pelo empoderamento

A festa que o Brasil não viu

As Paralimpíadas mal começaram e já vieram com polêmicas. De princípio, a nomenclatura. O "O" de Olimpíadas foi retirado dando origem ao nome que utilizamos agora. Apesar da mudança ter sido realizada em 2011, ainda tivemos um estranhamento nessa edição. Se você clicar aqui vai saber direitinho as razões dessa alteração. Partimos então para a … Continuar lendo A festa que o Brasil não viu