O que podemos fazer?

Certo dia já não conseguia dormir direito. No começo imaginei ser cansaço demais, excesso de preocupações do trabalho refletindo no meu organismo. A noite foi trocada pelo dia e as tarefas não eram executadas com a mesma intensidade. Neste ponto meu alerta ligou, como uma ficha caindo admiti o meu problema: era ansiedade. Lá vamos … Continuar lendo O que podemos fazer?

Anúncios

Privilégios ou oportunidades?

Repost do texto destinado ao blog “Tudo bem ser diferente”

Espaço aberto para diferença e inclusão: que tal um debate sobre sociedade inclusiva?

*Fatine Oliveira

Dia 03 de dezembro é o internacional da pessoa com deficiência e tem sido difícil focar em um determinado assunto para discutir, pois todos são igualmente importantes e urgentes. Antes de me colocar diante deste computador, busquei revirar pautas, anotar ideias, mas agora que cá estou só consigo pensar em como minha idade tem me feito refletir as coisas.

Como toda pessoa com deficiência nascida nos anos 80/90 recebi um diagnóstico ligeiramente catastrófico que me permitia andar por este mundo até os sete anos. Aqui começou minha vida privilegiada. Em um lar estável com uma família carinhosa e humana, pude desenvolver minhas habilidades, estudar em boas escolas, fazer amigos e com o passar do tempo me formar e exercer minha profissão.

Tive oportunidade de me desafiar intelectualmente com livros, artes e música. Me apaixonei, decepcionei e fui decepcionada. Sofri de amor e vivi cada momento com intensidade. Conheci…

Ver o post original 300 mais palavras

Será que sou eu?

Começa com uma ideia nova, um frescor de inspiração depois de um longo período sem produzir nada. A novidade nos revigora, dá ânimo para traçar novos planos, sonhar com possibilidades de mudar algo em nossas vidas. Ainda que seja pouca coisa como testar uma nova receita de molho ou mais significativo como mudar de emprego, … Continuar lendo Será que sou eu?

Deficiente, sexualidade e solidão: em busca do empoderamento

* Por Jhonatan Zati Nós somos o país que mais mata pessoas LGBT no mundo. Segundo dados levantados de acordo com o GGB, Grupo Gay da Bahia, nossas estatísticas do ano de 2016 superam as do Oriente Médio e da África, em regiões em que a pena de morte por ser parte dessa parcela da população … Continuar lendo Deficiente, sexualidade e solidão: em busca do empoderamento

Nós também sangramos

Muito se fala sobre a sexualidade das pessoas com deficiência, sempre ressaltando as dificuldades em encontrar parceiros ou em alternativas para tornar o ato sexual mais viável e prazeroso. Nesse campo, para as mulheres com deficiência o assunto se restringe aos seus corpos e como lidar com a normatização social sem perder sua autoestima. Entretanto, sexualidade … Continuar lendo Nós também sangramos

Minhas férias em Recife

Finalmente 2017, pessoal! Não sei como foi o ano passado para vocês, mas por aqui a coisa andou bem tensa. Muito trabalho, pouco retorno financeiro, inseguranças pessoais, rupturas de relacionamento... foram tantas mudanças que quase nem reconhecia minha vida. Era como se fosse a história de outra pessoa, rs. Porém o relógio andou e o … Continuar lendo Minhas férias em Recife

A diferença entre ser amado e ser “útil”

O texto abaixo foi escrito pelo Pe. Fábio de Melo sobre envelhecimento, mas pode facilmente ser compreendido e interpretado também para nossa realidade de pessoa com deficiência. Portanto, boa leitura. Por Pe. Fábio de Melo “Você ter utilidade pra alguém é uma coisa muito cansativa. Tá certo, realiza. Humanamente falando é interessante você saber fazer as … Continuar lendo A diferença entre ser amado e ser “útil”